quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Coliseu | Roma

Fica pertíssimo da Piazza Venezia (onde está o Monumento a Vittorio Emanuele), dá para ir andando, no máximo 1 km...
Veja aqui: donnagatta.blogspot.com/2014/06/coliseu-roma-v.html
Na Piazza del Colosseo Início da construção 70 d.C. inauguração 80 d.C. (sempre gosto de colocar as datas!). Construído por ordem do Imperador Vespasiano, o Coliseu é provavelmente o monumento mais importante da cidade de Roma, mostra a grandeza que o império romano atingiu.
O coliseu demorou entre 8 e 10 anos para ser contruído. Era usado como anfiteatro para vários espetáculos crueis, com 4 níveis e arquibancadas de mármore.
Os gladiadores lutavam na arena, e sugundo a história relata, era o lugar onde os cristãos eram lançados aos leões, e era no subterrâneo ficavam as jaulas dos animais.
Tem uma capacidade de 50.000 pessoas, e 48 metros de altura.
E foi sempre visto como símbolo da império romano, sendo um dos melhores exemplos de sua arquitetura, juntamente com o Arco di Constantinus, que fica bem ao lado.
"É muita gente em um lugar só!". Estava me sentindo exausta. Depois de tanto caminhar durante o dia, no final da tarde me encontrei aqui com milhares de pessoas admirando as ruínas, e o Coliseu por mais uma vez. Deixamos nossos amigos por aqui porque eu estava como dizem por aí: "No pau da rabiola", preferi tentar descansar um pouco no hotel para saírmos para jantar a noite.
Arco de Constantino, ao lado do Coliseu
Construído para comemorar a vitória de Constantino na batalha da Ponte Mílvio; confronto travado no verão de 312 durante a Guerra Civil e os imperadores romanos Constantino, o Grande e Magêncio, proximo à Ponte Mílvio, uma das várias pontes sobre o Rio Tibre em Roma. Constantino
seria o vencedor da batalha, e assim, tornando-se o governante único do Império Romano. Magêncio, por outro lado, morreria afogado no Tibre durante o combate.

Sempre tenha um mapa em mãos e um um Guia para se orientar e saber a história de cada ponto turístico, há muitas coisas interessantes que não sabemos.
Arrivederci!

Nenhum comentário: